Curitiba será a capital latina 

O EITCCP é um congresso anual de saúde mental, promovido pelo Instituto de Análise do Comportamento de Curitiba. O II EITCCP, a ser realizado nesse ano de 2019, será uma continuidade do primeiro encontro ocorrido em Curitiba. Na edição do ano passado, mais do que receber conferencistas convidados do Brasil, Paraguai e Argentina, contamos também com as inscrições de participantes das mais diversas capitais! Belém, Maceió, Salvador, Goiânia, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Florianópolis, além de várias cidades do interior. E para a nossa surpresa, tivemos também participantes internacionais, vindos do Paraguai, de Assunção e Cidade de Leste.

A expectativa para essa segunda edição é realizar um encontro de maior dimensão, com maciça participação dos congressistas vindos das mais diversas cidades, apaixonados como nós pela Análise Comportamental Clínica. 

Paulo Abreu e Juliana Abreu
Presidentes do II Congresso

TERAPIA DE ACEITAÇÃO E COMPROMISSO (ACT)

A Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) tem como meta principal tratar a esquiva emocional, o número excessivo de respostas literais ao conteúdo cognitivo e a inabilidade de assumir e manter compromissos com a mudança comportamental.

Segundo seus criadores, os clientes normalmente chegam à clínica com queixas que apresentam claramente a tentativa de controlar os supostos determinantes de seu sofrimento, ou seja, a eliminação de emoções negativas, lembranças, impulsos etc. A ACT estaria centrada na quebra do controle de estímulo problemático, abrindo possibilidade de contato com fontes alternativas de reforçamento. 

A ACT focou na classe-problema denominada de esquiva experiencial. Dada classe se constitui das respostas que o indivíduo emite com função de fugir ou esquivar eventos encobertos, que via de regra envolvem a linguagem, e que são aversivos. O modelo psicopatológico da ACT, referido como diagnóstico funcional dimensional, descreve que as tentativas do indivíduo de controle dos eventos encobertos são as principais responsáveis na manutenção dos transtornos. Assim, as tentativas de controle de experiências como pensamentos, imagens, memórias, sentimentos e sensações encobertas aversivas, levariam o indivíduo a desenvolver um repertório psicológico inflexível.

Para ir mais longe:

Hayes, S. C., Strosahl, K., & Wilson, K. G. (1999). Acceptance and commitment therapy: an experiential approach to behavior change. New York: Guilford Press.

TERAPIAS COMPORTAMENTAIS CONTEXTUAIS

As terapias comportamentais contextuais são propostas de tratamento baseadas em evidências

A influência da nossa história no desenvolvimento da clínica

Profissionais renomados de diferentes países, todos reunidos em Curitiba!

  

  •  
  •  

  

  •     

Desenvolvido por Paulo Abreu