Curitiba será a capital latina 

O II Encontro Internacional de Terapias Comportamentais Contextuais e Psiquiatria (II EITCCP) é um congresso anual de saúde mental, promovido pelo Instituto de Análise do Comportamento de Curitiba. O II EITCCP, a ser realizado nesse ano de 2019, será uma continuidade do primeiro encontro ocorrido em Curitiba. Na edição do ano passado, mais do que receber conferencistas convidados do Brasil, Paraguai e Argentina, contamos também com as inscrições de participantes das mais diversas capitais! Belém, Maceió, Salvador, Goiânia, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Florianópolis, além de várias cidades do interior. E para a nossa surpresa, tivemos também participantes internacionais, vindos do Paraguai, de Assunção e Cidade de Leste.

A expectativa para essa segunda edição é realizar um encontro de maior dimensão, com maciça participação dos congressistas vindos das mais diversas cidades, apaixonados como nós pela Análise Comportamental Clínica. 

Paulo Abreu e Juliana Abreu
Presidentes do II Congresso

 

El II Encuentro Internacional de Terapias Comportamentales Contextuales y Psiquiatría (II EITCCP) es un congreso anual de salud mental, organizado  por el Instituto de Análisis del Comportamiento de Curitiba. El II EITCCP, a realizarse en ese año de 2019, será una continuación del primer encuentro ocurrido en Curitiba. En la edición del año pasado, además de recibir conferencistas invitados de Brasil, Paraguay y Argentina, ¡Contamos también con las inscripciones de participantes de las más diversas capitales de estados del Brasil!  como Belém, Maceió, Salvador, Goiania, Brasilia, Belo Horizonte, Curitiba y Florianópolis. Y para nuestra sorpresa, tuvimos también participantes internacionales, venidos de Paraguay: desde Asunción y  de Ciudad del Este.

La expectativa para esta segunda edición es la de realizar un encuentro de mayor dimensión, con masiva participación de los congresistas venidos de las más diversas ciudades, apasionados como nosotros por el Análisis Comportamental Clínico.

Paulo Abreu y Juliana Abreu
Presidentes del II Congreso

Blog

PRÁTICAS BASEADAS EM EVIDÊNCIAS

Grande parte das pessoas não sabe mas algumas das práticas adotadas por psicólogos em sua clínica são produto de exaustiva pesquisa científica. O interesse pelo estudo dos efeitos da psicoterapia vem de longa data.

O CONGRESSO EVOLUIU 

O Encontro de Terapias Comportamentais Contextuais e Psiquiatria (ETCCP) é uma ampliação, e ao mesmo tempo aprimoramento, das Jornadas de Análise Aplicada do Comportamento (JAACs), promovidas pelo Instituto de Análise do Comportamento de Curitiba (IACC).

STATUS ATUAL DE EVIDÊNCIAS

Correntemente constata-se que a ACT, a DBT e a BA possuem uma pequena, mas crescente quantidade de evidências de pesquisas que dão suporte aos seus procedimentos.

A ACT possui cento e oitenta e três ECRs (Hayes, 2017), a DBT possui vinte e um (Peer-Reviewed & Published Randomized Controlled/Comparative Trials, n.d.), e a BA mais de vinte e seis (e.g., Ekerse et al., 2014). A BA, em especial, se considerada como componente crítico de mudança no manual Beck para tratamento da depressão, saltaria para um número expressivamente maior de ECRs (Martell et al., 2001).

A FAP não possui nenhum ECR, embora seus mecanismos centrais de ação sejam bem suportados em pesquisas de sujeito único, apresentando resultados que atestam efeito moderadamente efetivo, e até mesmo bastante efetivo, a depender da métrica utilizada nos estudos (Singh, 2016).

A despeito da ainda crescente quantidade de ECRs, alguns tratamentos como a ACT, a DBT e a BA já têm sido apontados como tendo forte suporte de pesquisa e/ou como sendo tratamentos de primeira linha em algoritmos de decisão clínica de instituições internacionais.

A ACT, segunda a Divisão 12 da APA, tem suporte forte de pesquisa no tratamento psicossocial da dor crônica (Chronic or persistent pain treatment: Acceptance and commitment therapy for chronic pain, n.d.).

A DBT possui igualmente forte suporte de pesquisa no tratamento do TPB (Borderline personality disorder treatment: Dialectical behavior therapy for borderline personality disorder, n.d.), sendo o tratamento de escolha (Stoffers et al., 2012).

A BA possui também forte suporte de pesquisa no tratamento da depressão (Depression Treatment: Behavioral activation for depression, n.d.), figurando em algumas instituições como opção de primeira linha no tratamento da depressão maior (Parikh et al., 2016).

 

Referências:

Borderline personality disorder treatment: Dialectical behavior therapy for borderline personality disorder (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved October 2, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/borderline-personality-disorder/dialectical-behavior-therapy-for-borderline-personality-disorder/

Chronic or persistent pain treatment: Acceptance and commitment therapy for chronic pain (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved September 22, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/chronic-or-persistent-pain/acceptance-and-commitment-therapy-for-chronic-pain/

Depression Treatment: Behavioral activation for depression (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved October 2, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/depression/behavioral-activation-for-depression/

Ekers, D., Webster, L., Van Straten, A., Cuijpers, P., Richards, D., & Gilbody, S. (2014). Behavioural Activation for Depression; An Update of Meta-Analysis of Effectiveness and Sub Group Analysis. PLoS ONE, 9(6), e100100. http://doi.org/10.1371/journal.pone.0100100

Hayes (2017). ACT Randomized Controlled Trials since 1986. Retrieved October 2, 2017, from Association for Contextual Behavioral Science website, https://contextualscience.org/ACT_Randomized_Controlled_Trials

Martell, C. R.; Addis, M. E., & Jacobson, N. S. (2001). Depression in context: strategies for guided action. New York: W. W. Norton.

Parikh, S. V., Quilty, L. C., Ravitz, P., Rosenbluth, M., Pavlova, B., Grigoriadis, S., … the CANMAT Depression Work Group. (2016). Canadian network for mood and anxiety treatments (CANMAT) 2016 clinical guidelines for the management of adults with major depressive disorder: Section 2. Psychological Treatments. Canadian Journal of Psychiatry, 61 (9), 524–539. http://doi.org/10.1177/0706743716659418

Peer-Reviewed & Published Randomized Controlled/Comparative Trials (n.d.). Retrieved September 24, 2017, from Behavioral Tech website, http://behavioraltech.org/wp-content/uploads/2015/09/RCT4ModesResearchDatatoDate2016.06.28-new-logo.pdf.

Singh, R. J., (2016). A meta-analytic review of Functional Analytic Psychotherapy singlesubject research. Master Thesis. Ohio: Graduate College of Bowling Green State University, Bowling Green State University.

Stoffers, J. M., Völlm, B. A., Rücker, G., Timmer, A., Huband, N., & Lieb, K. (2012). Psychological therapies for people with borderline personality disorder. Cochrane Database of Systematic Reviews, 8. doi:10.1002/14651858.CD005652.pub2

TERAPIAS COMPORTAMENTAIS CONTEXTUAIS

As terapias comportamentais contextuais são propostas de tratamento baseadas em evidências

PROFISSIONAIS RENOMADOS DE DIFERENTES PAÍSES, TODOS REUNIDOS EM CURITIBA!

  

  •  
  •      

Desenvolvido por Paulo Abreu