Curitiba será a capital latina 

O EITCCP é um congresso anual de saúde mental, promovido pelo Instituto de Análise do Comportamento de Curitiba. O II EITCCP, a ser realizado nesse ano de 2019, será uma continuidade do primeiro encontro ocorrido em Curitiba. Na edição do ano passado, mais do que receber conferencistas convidados do Brasil, Paraguai e Argentina, contamos também com as inscrições de participantes das mais diversas capitais! Belém, Maceió, Salvador, Goiânia, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Florianópolis, além de várias cidades do interior. E para a nossa surpresa, tivemos também participantes internacionais, vindos do Paraguai, de Assunção e Cidade de Leste.

A expectativa para essa segunda edição é realizar um encontro de maior dimensão, com maciça participação dos congressistas vindos das mais diversas cidades, apaixonados como nós pela Análise Comportamental Clínica. 

Paulo Abreu e Juliana Abreu
Presidentes do II Congresso

STATUS ATUAL DE EVIDÊNCIAS

Correntemente constata-se que a ACT, a DBT e a BA possuem uma pequena, mas crescente quantidade de evidências de pesquisas que dão suporte aos seus procedimentos.

A ACT possui cento e oitenta e três ECRs (Hayes, 2017), a DBT possui vinte e um (Peer-Reviewed & Published Randomized Controlled/Comparative Trials, n.d.), e a BA mais de vinte e seis (e.g., Ekerse et al., 2014). A BA, em especial, se considerada como componente crítico de mudança no manual Beck para tratamento da depressão, saltaria para um número expressivamente maior de ECRs (Martell et al., 2001).

A FAP não possui nenhum ECR, embora seus mecanismos centrais de ação sejam bem suportados em pesquisas de sujeito único, apresentando resultados que atestam efeito moderadamente efetivo, e até mesmo bastante efetivo, a depender da métrica utilizada nos estudos (Singh, 2016).

A despeito da ainda crescente quantidade de ECRs, alguns tratamentos como a ACT, a DBT e a BA já têm sido apontados como tendo forte suporte de pesquisa e/ou como sendo tratamentos de primeira linha em algoritmos de decisão clínica de instituições internacionais.

A ACT, segunda a Divisão 12 da APA, tem suporte forte de pesquisa no tratamento psicossocial da dor crônica (Chronic or persistent pain treatment: Acceptance and commitment therapy for chronic pain, n.d.).

A DBT possui igualmente forte suporte de pesquisa no tratamento do TPB (Borderline personality disorder treatment: Dialectical behavior therapy for borderline personality disorder, n.d.), sendo o tratamento de escolha (Stoffers et al., 2012).

A BA possui também forte suporte de pesquisa no tratamento da depressão (Depression Treatment: Behavioral activation for depression, n.d.), figurando em algumas instituições como opção de primeira linha no tratamento da depressão maior (Parikh et al., 2016).

 

Referências:

Borderline personality disorder treatment: Dialectical behavior therapy for borderline personality disorder (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved October 2, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/borderline-personality-disorder/dialectical-behavior-therapy-for-borderline-personality-disorder/

Chronic or persistent pain treatment: Acceptance and commitment therapy for chronic pain (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved September 22, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/chronic-or-persistent-pain/acceptance-and-commitment-therapy-for-chronic-pain/

Depression Treatment: Behavioral activation for depression (n.d.). In Division 12 of the American Psychological Association website. Retrieved October 2, 2017, from http://www.div12.org/psychological-treatments/disorders/depression/behavioral-activation-for-depression/

Ekers, D., Webster, L., Van Straten, A., Cuijpers, P., Richards, D., & Gilbody, S. (2014). Behavioural Activation for Depression; An Update of Meta-Analysis of Effectiveness and Sub Group Analysis. PLoS ONE, 9(6), e100100. http://doi.org/10.1371/journal.pone.0100100

Hayes (2017). ACT Randomized Controlled Trials since 1986. Retrieved October 2, 2017, from Association for Contextual Behavioral Science website, https://contextualscience.org/ACT_Randomized_Controlled_Trials

Martell, C. R.; Addis, M. E., & Jacobson, N. S. (2001). Depression in context: strategies for guided action. New York: W. W. Norton.

Parikh, S. V., Quilty, L. C., Ravitz, P., Rosenbluth, M., Pavlova, B., Grigoriadis, S., … the CANMAT Depression Work Group. (2016). Canadian network for mood and anxiety treatments (CANMAT) 2016 clinical guidelines for the management of adults with major depressive disorder: Section 2. Psychological Treatments. Canadian Journal of Psychiatry, 61 (9), 524–539. http://doi.org/10.1177/0706743716659418

Peer-Reviewed & Published Randomized Controlled/Comparative Trials (n.d.). Retrieved September 24, 2017, from Behavioral Tech website, http://behavioraltech.org/wp-content/uploads/2015/09/RCT4ModesResearchDatatoDate2016.06.28-new-logo.pdf.

Singh, R. J., (2016). A meta-analytic review of Functional Analytic Psychotherapy singlesubject research. Master Thesis. Ohio: Graduate College of Bowling Green State University, Bowling Green State University.

Stoffers, J. M., Völlm, B. A., Rücker, G., Timmer, A., Huband, N., & Lieb, K. (2012). Psychological therapies for people with borderline personality disorder. Cochrane Database of Systematic Reviews, 8. doi:10.1002/14651858.CD005652.pub2

TERAPIAS COMPORTAMENTAIS CONTEXTUAIS

As terapias comportamentais contextuais são propostas de tratamento baseadas em evidências

A influência da nossa história no desenvolvimento da clínica

Profissionais renomados de diferentes países, todos reunidos em Curitiba!

  

  •  
  •  

  

  •     

Desenvolvido por Paulo Abreu